11.2.17

Estrelas Além do Tempo | Filme

O que dizer sobre esse ano em que ainda não saí dos cinemas decepcionada? Moana, La La Land e agora Estrelas Além do Tempo. Esse filme é do tipo que você sai do cinema indicando para todo mundo, e claro que eu vim aqui falar sobre né. :D
Sinopse:
1961. Em plena Guerra Fria, Estados Unidos e União Soviética disputam a supremacia na corrida espacial ao mesmo tempo em que a sociedade norte-americana lida com uma profunda cisão racial, entre brancos e negros. Tal situação é refletida também na NASA, onde um grupo de funcionárias negras é obrigada a trabalhar a parte. É lá que estão Katherine Johnson (Taraji P. Henson), Dorothy Vaughn (Octavia Spencer) e Mary Jackson (Janelle Monáe), grandes amigas que, além de provar sua competência dia após dia, precisam lidar com o preconceito arraigado para que consigam ascender na hierarquia da NASA.
Trailer:

Estrelas Além do Tempo é um drama histórico que vai fazer você sentir revolta pelo o que as pessoas passaram, orgulho das protagonistas, interesse por todo fundamento científico por trás da corrida espacial e tudo isso num clima bem leve.
O filme mostra como uma sociedade era avançada o bastante para criar foguetes mas tão retrógrada que separava banheiros pela cor de pele, e é aí que as protagonistas lutam para evoluir na NASA, onde há um grande preconceito e machismo.
Por mais que seja um tema bem sério, o filme mostra tudo de modo leve e com bom humor na maioria das cenas; isso pode não agradar algumas pessoas, mas eu achei uma abordagem genial - até os não tão fãs de dramas vão se interessar pelo enredo.
E tem um a mais, que deixa o conteúdo do filme bem interessante: a matemática, a física e a engenharia são abordadas de forma bem explícita. Há um grande equilíbrio entre as cenas do drama das personagens e dos dilemas matemáticos que a NASA passava. Não só o pessoal "de exatas" vai se inspirar em todos o conhecimento dos personagens, pois o filme se esforça para explicar tudo que está acontecendo à todos.
Tudo é passado com cenas bem vintages, desde as vestimentas às cores, tipos de carro e música. Afinal, é um filme histórico. Mas, acima de tudo, achei as atuações sensacionais, principalmente a da maravilhosa Janelle Monáe.
Só não dei um 10 para o filme pois achei que não foi tão realista (considerando que é baseado em fatos reais). Aquele costumeiro patriotismo americano exagerado dos filmes americanos está presente também, e, por mais que isso fizesse parte da Guerra Fria, me incomodou em alguns momentos.

E por mais que não seja um filme perfeito, se tornou um dos meus favoritos da vida, é um filme maravilhoso do empoderamento feminino e negro. Assim que sair dos cinemas nos torrents da vida, vou rever! Realmente recomento à todos.

21.1.17

Meus finalizadores de cabelo

Saudações, pequenos padawans.
Se tem uma coisa que eu acho muito importante na nossa rotina capilar é a finalização. O que você faz e passa no seu cabelo depois da lavagem faz uma diferença enorme nos seus fios, deixando-os mais ou menos volumosos, mais lisos, mais encaracolados, etc.
Por isso resolvi indicar os produtinhos que mais uso nos cabelos, vai que algum seja a salvação que você procura, né. ;)

1.        Monange Hidratação Intensa
A linha rosa da monange é bem famosa! E esse creme para pentear é o meu favorito da vida. Ele é bem hidratante e mesmo quando exagero na quantidade meu cabelo não pesa. O meu está no final e já tenho outro de reserva! Uso em quase todas as lavagens. (Liberado para No e Low Poo).
2.      Charming Creme Gloss
Quando quero meu cabelo mais liso e comportado, ou usar secador/chapinha (por mais que eu evite) uso esse produto. É bem consistente e dá uma controlada no frizz, além de ter proteção térmica. (Liberado para No e Low Poo).
3.      Bioextratus Cachos Perfeitos
Comprei esse produto assim que comecei o No Poo, então posso dizer que rende bem. Porém ele pesa um pouco no meu cabelo e o deixa com aparência de molhado para sempre (usando ele na foto do início do post). Normalmente uso bem pouco dele misturado com o da Monange para dar um controle no volume ou então quando meu cabelo está bem ressecado. Provavelmente não comprarei de novo. (Liberado para No e Low Poo).
1.        Óleo de Argan Yenzah
Esse produto é bem antigo! Eu uso pouco óleo, mas mesmo assim ele dura muuuito! Gosto bastante de como ele diminui o frizz do meu cabelo. Não sei se essa linha ainda existe, então provavelmente não comprarei de novo. (Não sei se é liberado).
2.       Tô de Cacho Gelatina
Uso esse quando quero meu cabelo mais ondulado, com definição sem perder o volume! Gosto bastante, mas uso poucas vezes por ter um pouco de preguiça de misturá-lo com o creme. Quando acabar, comprarei gelatinas de outras marcas para testar, mas essa é muito boa sim! (Liberado para No e Low Poo).
3.      Yamasterol Creme Multifuncional
Uso esse produto para tudo na minha vida! Faço Co-wash, misturo na máscara e também uso na finalização! Na verdade, nos dias que seguem a lavagem. Quando acordo com o cabelo igual à um ninho de passarinho, passo esse creme para revitalizar o cabelo e as ondinhas. Ele é super leve, então não pesa em nada cabelo e seca rapidinho. Meu salvador nos Day afters – na linguagem das cacheadas ;). Comprarei para sempre na minha vida haha. (Liberado para No e Low Poo).

No momento tenho usado esses produtos, mas se pudesse mudava todo mês, pois amo testar coisas novas! Se vocês já usaram um desses produtos, me digam! Também aceito indicações. <3

15.1.17

Estudar Inglês pela internet


Olá! No final do ano passado finalizei meu curso de inglês com bastante sacrifício – depois de largar o curso que fazia no ano de vestibular, entrei em outro na minha universidade mesmo. Tecnicamente, sei falar inglês; mas só tecnicamente.
Por mais que você estude e tire notas boas, os cursos de inglês (normalmente) são apenas a ponta do iceberg. Muito da língua – qualquer que seja – terá que ser aprendida por meio de outros cursos, palestras e por conta própria.

Também existem aquelas pessoas que não querem ou não podem cursar alguma escola de línguas, mas querem se esforçar para adquirir esse conhecimento. Para ambos os casos, nada melhor que usar a fonte infinita de conhecimento – aka internet – para estudar! E aqui neste post vou dar dicas de como estudo Inglês com a internet.
#Pronúncia
A pronúncia é a parte mais difícil para mim! Para praticar, eu acho pertinente cantar músicas em inglês, pois com músicas que conheço e sou fã eu me divirto e aprimoro minha pronúncia de vários tipos de palavras – para isso uso o YouTube.
Outro modo é escutar e prestar atenção nas palavras, assim fixar o som e repetir depois! Para isso é bom prestar atenção em letras de músicas, assistir séries/filmes (de preferência, legendado em inglês), assistir canais de gringos no YT ou simplesmente colocar palavras aleatórias no google tradutor, ouvir a mulher falando e tentar repetir.
Se você tem amigos com algum conhecimento em inglês, você pode também mandar áudios em inglês e perguntar se a pronúncia está boa. Dependendo do seu nível de conhecimento, vocês podem até fazer uma conversa inteira em inglês!



#Vocabulário
Você encontra vocabulário em tudo! Mas eu gosto de ler coisas relacionadas ao meu inglês instrumental. Vou explicar: eu quero usar o inglês principalmente para me comunicar e usar no trabalho; vocabulário de comunicação eu encontro em textos que foquem diálogos, como HQ’s e os vídeos das gringas que já citei aqui; já para o trabalho é mais complicado, eu pretendo ser engenheira civil então eu procuro textos e artigos relacionados a matemática e física – acompanho um site muito bom, o physics world.

Enfim, eu vou lendo os textos e as palavras que desconheço é só anotar no meu caderno de inglês, para depois, com calma, eu procurar os significados, a pronúncia e as conjugações verbais!

#Gramática
Eu estudo gramática apenas por vídeos no YouTube! Existem vários canais, então é só você ir dar uma olhada.

#Dica extra
Ao ler artigos, livros, HQs ou qualquer texto em inglês, faça isso em voz alta! A pronuncia às vezes parece perfeita na nossa cabeça, mas ao ser dita é totalmente diferente.

Se vocês tiverem métodos e dicas sobre o assunto, compartilhem comigo! Vai ser de grande ajuda. ;)

7.1.17

Leituras de 2016

Antes de qualquer coisa, feliz ano novo a todos os seres que passeiam por este site (um pouco atrasado). Que 2017 seja um ano fantástico a todos nós, que as coisas boas de 2016 se multipliquem! Para dar um ponto final em 2016, resolvi fazer uma breve retrospectiva literária deste ano, para abrir portas aos novos livros que virão.
Bem, os últimos dois anos não foram muito proveitosos no âmbito literário. Li bem pouco em 2015, e um pouquinho mais em 2016. Mas esse ano novo está aqui para mudar essa perspectiva! Vamos falar um pouco dos lidos de 2016.

A guerra dos tronos
Comecei o ano relendo esse “pequeno gigante”. Havia lido este em 2014, mas esqueci dos detalhes; tenho interesse em ler toda a série, então reli o título inicial. Dispensa comentários de qualidade.
O pequeno príncipe
Sempre quis ler, e não me arrependi. Uma leitura leve e muito inspiradora.
O símbolo perdido
Era o último da coleção de livros do personagem Robert Langdon que eu não tinha lido. Não é tão bom quanto os outros, mas é uma leitura impressionante.
Mentes perigosas
Um livro sobre psicopatas que não trouxe muita relevância para mim. Tem resenha aqui.
O natal de Poirot
Mais um livro da maravilhosa Agatha Christie! Vale muito a pena, se você gosta de mistérios policiais que parecem não ter solução, ainda com um climinha de natal britânico.
Um estudo em vermelho
Uma das histórias de Sherlock Holmes que tem na coletânea que comprei. A história é boa, mas não me apeguei à escrita do autor. Quando se trata de mistério policial, ainda prefiro  a Agatha Christie.
Joyland
Finalmente posso dizer que li um livro do Stephen King! Comecei por esse, que é um livro bem pequeno, comparado aos outros do autor. A história é fantástica, muito bem ambientada; também gostei muito do estilo de narrativa.
Paul McCartney – Uma vida
Li a biografia do meu beatle favorito, e confesso que alguns sonhos meus sobre a banda foram destruídos. Mas mesmo assim foi maravilhoso entrar no universo do artista!
Quem é você, Alasca?
Li dois títulos do John Green anteriormente que me deixaram desmotivada a ler este. Porém finalmente criei coragem, e não me arrependi. É um livro cliché e diferente ao mesmo tempo! Começa como um drama adolescente que se torna algo mais profundo. É o único livro do autor que realmente recomendo, dentre os que li.
A fúria dos reis
Após Guerra dos Tronos, precisei tomar um fôlego antes de entrar novamente no denso universo de Martin. Mas finalmente li o segundo da série e achei ainda melhor que o primeiro!
Donnie Darko
Depois de ver esse conhecido filme, e assistir várias explicações do mesmo, fiquei louca para adquirir o roteiro lançado pela Darkside! É um livro muito completo e bem feito, amei lê um formato diferente – roteiro de filme.
Poliana
Havia um tempo já que eu queria reler esse clássico da minha infância, uma leitura agradável e com ótimas lições de vida.
Cemitério de Dragões
Foi um livro confuso, porém bom. Seu diferencial é que foi escrito por um brasileiro! Ainda não decidi se lerei a continuação.
Harry Potter and the chamber of secrets
Decidi reler a série Harry Potter em inglês, pois além de ser bom sentir que estou lendo exatamente o que a JK escreveu, eu pratico essa linguagem!
O fantasma da ópera
Um clássico que estava acumulando poeira em minha estante. É uma leitura boa, mas com um romance meloso demais, como era comum em livros antigos. O filme é bem melhor, afinal, tem a trilha sonora fantástica.
A maldição do tigre
Esse livro me irritou em alguns momentos, por eu não ser muito fã da protagonista, mas mesmo assim me apeguei a ele – talvez por conta de detalhes da cultura indiana e por conter tigres – então pretendo sim ler os próximos.

E o total foi de 16 livros lidos, o que dá em um pouco mais de um por mês – não considero o suficiente para minha rotina – mas mesmo assim gostei dos livros que li! Vale ressaltar que A Guerra dos Tronos e A Fúria dos reis são super densos e juntos valem por uns 4 livros pequenos. :DD
Mas mesmo assim, não vou ficar dando desculpas! Pretendo fazer com que 2017 seja bem melhor, lendo 2 ou 3 livros por mês – se a faculdade e a preguiça me permitirem.
Também acho válido mencionar as HQ’s que li este ano:
- Penadino | Vida
- Fiona e Cake (6 vol)
- The Wicked and the divine (3 vol)
- Marceline gone Adrift (6 vol)

Em 2017 continuarei dando foco nos livros, mas continuarei fazendo posts de HQ’s que quero ler, como já faço, talvez bimestralmente desta vez.
E é isso! Caso queiram saber, o primeiro livro que estou lendo em 2017 é Garota Exemplar. Até o próximo post!

24.12.16

O melhor de 2016


O blog Próxima Primavera lançou este projeto que achei genial: postar no dia 24/12 as nossas pequenas e grandes conquistas de 2016. Afinal, esse ano foi bem difícil de vencer, ainda mais com pensamentos pessimistas a cada mês se acumulando. Porém, por pior que tenha sido – não foi tão ruim, vai – a gente pode sim jogar o jogo do contente (leitores de Poliana irão me compreender) e achar aquelas coisas que tornarão nossa vida tão mais boa.
Bem, aí vão minhas pequenas – porém grandes – conquistas desse ano; espero que inspire vocês.

Passei no vestibular
Perdoa a foto zoada, mas eu juro que não tenho foto boa desse dia (É costume do local onde moro tacar ovo e outros bagulhos nos calouros, não estranhem). Bem, essa foi uma das maiores conquistas do ano, e talvez da minha vida. Curso dos sonhos, universidade dos sonhos.

Tive férias de 7 meses
O 3º ano acabou logo depois do ENEM, em outubro. As aulas da universidade começaram só em maio por conta da greve. SETE MESES DE AMOR.

Fui muito no cinema!
21 vezes, o que é muito para mim!

Comecei a desenhar
Ainda não desenho bem, mas evoluí MUITO.

Comecei a escrever um livro
Saiba mais aqui. <3

Qualidade bem mais ou menos, sorry :/
Montei minha estante de livros

Descobri o feminismo da forma certa
E não da forma que a sociedade desconstrói.

 Fui pela primeira vez em uma pré-estreia
De Guerra Civil! Após isso fui em mais duas, Animais Fantásticos e Rogue One. <3

Passei a ler HQ’s

Continuei amando meus gatinhos (até mais)

Aprendi a calcular limites, derivadas e integrais
Como algo pode ser tão maravilhoso e horrível ao mesmo tempo como cálculo?

 Comecei a namorar
E nem 2016 vai nos separar(perdoa por pôr essa foto mas eu gosto).

Parei de usar chapinha/secador
...e aceitei meu cabelo do jeito dele.

Me viciei em Donnie Darko

Postei quase 100 fotos no Instagram sem dar a louca e apagar tudo

Fui no show do Gessinger
... e foi o primeiro show de verdade da minha vida!

Li O pequeno príncipe

Fui em uma caminhada em prol dos animais

Comecei a fazer academia

Mantive minhas amizades do ensino médio
...e o amor só aumentou.

UFA! Quanta coisa boa. Se parar para pensar, 2016 foi maravilhoso; eu não lembrava que tinha acontecido tanta coisa boa, recomendo muito que vocês façam uma listinha assim.
O projetinho é para ser postado dia 24, e considerando que não tem horário de verão onde moro, ainda estou no prazo! Aqui você pode ver os outros blogs participantes! Um natal maravilhoso para todos. Até a próxima.

15.12.16

Rogue One: Uma História de Star Wars | Filme


Quem é vivo sempre aparece, não é mesmo. Hoje completam exatos 6 meses que este blog está sem atualização, mas juro que não desisti. Bem, vou pular aquelas desculpas de falta de tempo e desânimo e apenas dizer que vou tentar não fazer isso de novo. AGORA VAMO PARA A PARTE LEGAL!
Dezembro de 2016 está sendo um mês maravilhoso para fandoms; Animais Fantásticos e Rogue One vieram como um presente de Natal para melhorar esse ano cheio de tiros que está sendo 2016. Escrevo esse post ainda sob influência daquele êxtase pós cinema, então perdoem qualquer surto. Enfim, vamos falar de Rogue One.
Sinopse:
Ainda criança, Jyn Erso (Felicity Jones) foi afastada de seu pai, Galen (Mads Mikkelsen), devido à exigência do diretor Krennic (Ben Mendelsohn) que ele trabalhasse na construção da arma mais poderosa do Império, a Estrela da Morte. Criada por Saw Gerrera (Forest Whitaker), ela teve que aprender a sobreviver por conta própria ao completar 16 anos. Já adulta, Jyn é resgatada da prisão pela Aliança Rebelde, que deseja ter acesso a uma mensagem enviada por seu pai a Gerrera. Com a promessa de liberdade ao término da missão, ela aceita trabalhar ao lado do capitão Cassian Andor (Diego Luna) e do robô K-2SO.
Trailer:



Esse é aquele tipo de filme maravilhoso que você sai da sala de cinema perplexa, sem saber o que sentir. Uma frase que se encaixa perfeitamente em Rogue One é “Você vai rir, vai chorar e ainda vai querer mais”.
Para quem está um pouquinho por fora, Rogue One é um filme derivado dos clássicos de Star Wars, que complementa o universo cinematográfico. No início do episódio quatro, no bem conhecido texto de abertura, é dito que os rebeldes roubaram os planos secretos da estrela da morte; porém nunca foi explicado como isso ocorreu.
Em Rogue One, será contado basicamente como ocorreu este roubo, além de mostrar a fase de construção da Estrela da Morte e outros aspectos da guerra entre o Império e os Rebeldes.
Comparado aos outros filmes do universo, Rogue One é um filme mais sério e focado na guerra; porém, isso não impede de ter seus momentos de humor, principalmente envolvendo o K-2SO (do mesmo modo que nos outros filmes o alívio cômico cai sobre os robôs). Possui personagens muito variados entre si, logo é impossível não gostar de nenhum; eu mesma gostei de quase todos e acabei me importando com eles com facilidade.
O filme tem várias referências, para a extrema felicidade dos fãs. Sem contar com o tão amado e odiado Darth Vader, que está extremamente fantástico; é impossível não se arrepiar em todas as cenas que ele aparece.
E por mais que já saibamos o que acontece depois, pois já vimos o episódio IV, nunca vamos estar preparados para o final deste filme. É chocante, surpreendente e avassalador. E quando acaba, o primeiro impulso que temos é de assistir o episódio IV novamente e vê-lo de uma nova forma.

Só posso recomendar esse filme com todas as minhas forças, está no páreo de melhor filme do ano junto com Animais Fantásticos. Aos que nunca viram Star Wars, esse é o momento certo.

15.6.16

Como evitar chapinha, secador e babyliss?

Quem não queria ter o cabelo perfeito do Legolas? Confesso que preferia ter ele, mas o cabelo serve. :D 
Enfim, meu cabelo é, predominantemente, 2A(ondulado bem leve e com fios finos) e como todo bom cabelo ondulado é cheio de frizz e volume quando não é finalizado corretamente! E no dia-a-dia, ida para a faculdade, preguiça de cuidar do cabelo e falta de tempo me fazem não ter paciência para fazer a finalização dos fios. Então recorro a outra solução: Chapinha e secador.
Eu não sou a maior dependente do mundo em chapinha/secador, e saio de casa sem usar tranquilamente. Porém, por meu cabelo ser naturalmente fino e seco, o uso mínimo de calor já o agride bastante. Por isso estou fazendo o máximo para não usar esses instrumentos (já estou 22 dias sem usar e, combinando com o cronograma capilar, a diferença está evidente!). E como sei que tem muita gente por aí na mesma situação, resolvi fazer esse post!
1 – Mantenha o cabelo saudável
Um cabelo saudável tem menos frizz, volume, e é muito mais bonito; um cabelo assim não precisa de chapinha para domar. ;) Então você tem que hidratar pelo menos uma vez por semana os seus fios; além disso, caso precise, há a opção de iniciar um cronograma capilar – adoro fazer o cronograma, já que sou a louca das tabelas e métodos de organização. Haha.
2 – Tenha os produtos certos
Existe todo tipo de produto no mercado: os anti-frizz, os que alinham os fios, que definem ondas e cachos; é só achar os que se encaixam no seu cabelo! – e não precisa gastar uma fortuna, todos os produtos que uso são de mercado/farmácia e super me satisfazem. Além de tudo isso, existem inúmeras receitas e ingredientes caseiros! Como leite, por exemplo, que é um alisante natural.
3 – Finalize corretamente
Muita gente acha que só quem possui cabelo cacheado/crespo que precisa finalizar os cachos para ficarem divinos, mas quem tem fios ondulados, lisos e alisados também precisam ter um cuidado maior para o cabelo não secar esquisito! É só pesquisar um pouco sobre a forma certa de finalizar – e usar os produtos de que falei acima.
4 – Não lave o cabelo depois das 18 horas
Parece concelho de avó, mas é o melhor modo de não usar secador! Faça o máximo para secar o cabelo naturalmente sempre, e, quando precisar usar o secador – por estar muito frio ou ter lavado próximo da hora de dormir – use a temperatura mais baixa possível.
5 – Aprenda penteados
Penteados podem controlar o cabelo mais rebelde, além de dar uma mudança na aparência! Coques, tranças, e outras infinitas opções.
6 – Encontre novos modos de modelar
O babyliss não é o único modo de ondular/cachear os fios! Existem muitas técnicas com inúmeros resultados. Você pode fazer ondas com coques e tranças; cachear com o famoso "dedinho" e com meia calça(meu método favorito), só dá um pouquinho mais de trabalho.

Bem, gente, acho que o segredo de tudo é conhecer o cabelo e despertar a beleza natural dele! Mas quer saber? Se você se sente mais bonita e gosta de usar chapinha/secador/babyliss, usa! O que importa é se sentir bem, né? Mas pegue leve na temperatura e não tenha medo do volume, é a forma do cabelo ter atitude. ;)