18.3.16

A culpa é do governo ou do povo?


Nos últimos dias a internet não tirou os olhos de Brasília. Pessoas revoltadas, indignadas; pró governo, pró impeachment; críticos sociais e leitores de memes. Nesse meio tempo eu já li todo o tipo de coisa – principalmente no twitter e instagram.

Mas foi uma opinião que li hoje que me inspirou a fazer esse post. Nessa, a pessoa expôs que o governo corrupto é o espelho, até mesmo a consequência, do povo corrupto; os 21 bilhões de reais desviados da Petrobrás são espelho de uma pessoa furando uma fila; a política de interesses próprios brasileira é consequência de alguém surrupiando um item de um supermercado. Bem, eu penso o extremo contrário.

Não estou negando que nós somos um povo corrupto, afinal, somos mundialmente conhecidos pelo jeitinho brasileiro. Mas, como posso condenar alguém por fazer pequenos atos corruptos se 80% do dinheiro da educação dessa pessoa é desviado? Como posso exigir que a população leve a justiça a sério se nem os policiais a levam? E mais, como posso sonhar que os políticos do país sejam honestos se o maior necessitário disso – o povo – acha política uma coisa “chata”?

Então, devemos parar de nos preocupar com o dono da culpa por esse caos político, social e econômico do país e pensar mais em como resolver isso. Tire seu título de eleitor, tire a bunda da cadeira, pare de procurar memes sobre a Dilma/Lula/Aécio/Delcídio e pesquise um pouco sobre política.

Nas próximas eleições, se você não quer se dar ao trabalho de procurar um pouco sobre o passado do seu candidato e quem ele é, faça um favor ao país e vote nulo. Uma coisa que eu acho um absurdo incomensurável é o pensamento “Votei nele porque ele rouba mas faz alguma coisa”. É como contratar uma empregada que quebra 10 pratos mas lava 5. É colocar poder nas mãos de alguém indigno.

Mas sabe qual é a maior arma do povo contra a desonestidade? A educação. Pode parecer cliché, mas é a realidade. Se informe, estude, entenda sobre a história do Brasil, leia trabalhos de sociólogos, veja noticiários, forme opiniões e as compartilhe.
Isso não é só para vocês, é para mim também.
--
Bem gente, eu tenho consciência que esse post vai despertar pouquíssimo interesse por aí (a maioria das pessoas acha política chata, como eu já disse), mas do que adianta ter um blog se não posso postar sobre o que eu quero? Ficarei satisfeita se 3 ou 5 pessoas lerem e entenderem a mensagem! Aliás, acho que todos deveriam discutir sobre política, sem se importar com o gênero ou a idade.